Conheça sobre a polêmica PicPay e não caia no golpe!

O PicPay é um aplicativo para pagamentos online e é natural surgirem dúvidas sobre como o PicPay funciona dado algumas polêmicas que já envolveram a plataforma.

Criado no Brasil, o sistema nasceu com a proposta de facilitar transferências de dinheiro entre usuários ou na hora de fazer pagamentos a lojas virtuais ou serviços online.

PicPay / picpay como funciona

Neste artigo, nós explicaremos como funciona o PicPay, como você pode começar a pagar contas, fazer transferências e receber dinheiro. Mostramos também as críticas à plataforma, normalmente causados por mau uso por parte dos próprios usuários.

O que é o PicPay?

Lançado em 2012, o PicPay é uma fintech, uma startup desenvolvida para otimizar soluções do ramo financeiro, e/ou para introduzir novas facilidades e soluções. Ele é uma plataforma similar ao NuBank, mas diferentemente deste, o PicPay não funciona como um banco virtual.

O PicPay funciona basicamente como uma carteira eletrônica, ideal para transferir valores para contatos e fazer pagamentos em estabelecimentos credenciados (à vista ou parcelados).

Não há cobrança de juros ou taxas para contas pessoais, mas limita-se o recebimento de valores em R$ 800 por mês. A versão PRO, voltada para uso comercial, cobra 1,99% por pagamento recebido, mas não limita o volume de dinheiro por mês.

Com o PicPay, fazer uma vaquinha ou dividir a conta do bar tornou-se mais simples. O usuário pode tanto manter sua conta no app vinculada a seu cartão de crédito, para fazer pagamentos, ou alimentar a carteira com transferências de sua própria conta corrente.

As críticas ao PicPay

O PicPay já foi alvo de polêmicas… Por incentivar novas contas com um código promocional de R$ 10 (para quem indicou e também para quem foi convidado), tornou-se cenário de um esquema de pirâmide financeira.

No golpe, um usuário enviava o código de convite para um contato, que era convencido a devolver os R$ 10 que receberá de volta para quem o convidou. Estes usuários, conhecidos como “captadores”, ficavam no total com R$ 20 de cada convidado. E, embora tenham aberto mão da bonificação, eram aliciados a se tornarem também “captadores”, de modo a atrair novos incautos, e mantendo o golpe vivo.

 

Quem entra no PicPay através de um convite não é obrigado a devolver valor algum e é livre para usar os R$ 10 como bem entender. Ao mesmo tempo, segundo o PicPay, medidas vêm sendo tomadas contra os golpistas que tiveram seus perfis excluídos.

 

 

 

Clique AQUI e baixe agora o PicPay para o seu smartphone.